Enfim aqui.

Oi meus queridos artesãos,

Depois de uma temporada bem corrida por aqui e em plena inauguração do meu ateliê aberto ao público, estou aqui. Não conseguia parar para escrever de jeito nenhum. Mas o motivo é o melhor; a realização do sonho do “ateliê próprio”!!

Tenho certeza que todos vocês, salvo talvez os que já realizaram este sonho, vivem fantasiando sobre todos os detalhes de quando tiverem um ateliê. Eu não fujo á regra.

Durante uns 5 anos eu fiquei trabalhando em casa. Tive ateliê na sala, em um quarto, aberto ao público dentro de casa, fechado e apenas com vendas pela internet (desde que meu último filho nasceu). Agora que meu bebê já tem 3 anos e eu também fiquei 3 anos na retaguarda para meu marido cursar a faculdade, senti no meu coração que era minha hora de correr atrás do meu sonho e assim eu fiz!

frase2

 

Em pleno inicio de Julho eu encontrei um imóvel perfeito pra mim. As condições para encontrar este local eram:

  • ser iluminado de luz natural
  • ter tranquilidade para trabalhar
  • estar acessível aos clientes (parece contraditório com a condição acima mas é isso mesmo)

Nada fácil seria achar local com tais condições aqui numa cidade tão pequena e ainda no início da alta-temporada de Inverno na Mantiqueira.

Mas eis que o local como mágica se apresenta aos meus olhos! Mais ou menos, porque eu estava perguntando para a cidade toda sobre um lugar pra alugar…

 

20160602_125608

O local é essa escadinha e as três janelas

Ninguém via esse lugar gente! Parece um apartamento não é mesmo? Agora vamos ás condições:

  • Condição 1 – luz natural – Nem precisa dizer muito com essas três janelas não é mesmo!
  • Condição 2 – tranquilidade – Como não estou de porta para a rua, tenho mais tranquilidade. Também posso fechar a porta para produzir.
  • Condição 3 – acessibilidade – Estou no centro da cidade e a rua é bastante movimentada, mas sempre tem lugar para estacionar, pois não está no circuito mais central.
  •  

      Todos os dias eu chego aqui e me sinto realmente feliz. Estar em contato com o público, mostrar e explicar meu trabalho, mostrar como eu faço e onde é um prazer enorme! Agora é trabalhar bastante!!!

Aqui no ateliê também tenho trabalho de outras artesãos, que vocês podem conhecer no nosso perfil do Instagram @mimopatchwork_.

Espero poder mostrar agora por aqui como fiz todo o processo para poder abrir o ateliê. Como escolhi as cores, móveis, quanto eu gastei…

Mas uma coisa eu posso afirmar; você precisa de muito menos do que você imagina para realizar o seu sonho! Mas você precisa estar mergulhado na sua força de vontade, coragem e auto-confiança. É tudo que você precisa.

 

 

Conhecendo ateliês: Galpo calçados

Calçados simples e confortáveis. Somado a isso uma estética moderna e uma filosofia de marca muito marcante.

O ateliê fica nos fundos da casa do pai de Rafael, Adalberto, que tem 45 anos de chão de fábrica e começou como aprendiz em modelagem aos 11 anos. Ele e Rafael Neves fabricam calçados artesanais. Rafael é Designer de produtos e já foi professor universitário por 10 anos, ministrando cursos de Design, Arquitetura e Gestão (com ênfase em calçados), mas preferiu dedicar-se a um projeto próprio, a Galpo.

11086325_869325323126026_2060196005_o (1)

Para ele, e para mim também, é extremamente importante conhecer todas as etapas da produção. Tem outro post aqui no blog que gravei um vídeo com uma senhorinha, Dona Fia, que faz tecidos em algodão desde a etapa de colhe-lo (aqui). A criação dos calçados Galpo vem de uma filosofia muito concreta: “O produto existe para ser funcional, e não deve ser lembrado enquanto em uso, pelos calos! Kkkk”. Mas o Galpo não é só confortável, também é muito bonito, linhas simples, material natural e é muito durável, pois são feitos de couro. “As pessoas me questionam muito sobre o uso do couro. Não refletem muito a respeito e muitas vezes aceitam modismos e o generalizam para tudo. O couro nada mais é que um subproduto da carne. Enquanto o mundo consumir carne, o couro existirá. É um material extremamente durável e uma  alternativa para quem não quer um calçado em lona tingida com corantes tóxicos ou materiais sintéticos a base de petróleo, que vão estar no aterro em poucos meses de uso. O calçado em couro envelhece e adquire personalidade, os traços do dono.”2014-12-27 18.47.56

O solado é feito de Crepe (borracha natural). A Galpo segue um pensamento mais oriental, de que o calçado deve permitir que o indivíduo sinta a resposta do solo ao caminhar, isso faz com que os músculos e articulações que sustentam o corpo se fortaleçam.”  explica Rafael. Sabe que eu nunca tinha pensado nisso antes?!

2014-12-27 18.46.102014-12-27 18.44.51  2014-12-27 18.47.13

Rafael também ilustra as campanhas incríveis da marca! Olha só:

galpo4 galpo galpo1 galpo2 galpo3

Resumindo, ele define a marca assim: “Acho que representa o trabalho de duas pessoas tentando resgatar a essência funcional em um calçado! Sem lantejoulas! Espero que a Galpo seja associada a um bom produto… resultado de um bom trabalho!

Galpo1

Realmente gente, aqui em Gonçalves, que tudo virou lama nessas útimas semanas, usei muito o meu Galpo. Ele tá até sujo ainda. E é impressionante como ele combina com vários looks meus, desde calça até vestido. Realmente é muito confortável. Dá vontade de ter vário! Rsrs Eu preferi um pretinho básico, mesmo porque meu coturno velho de guerra estava um caco. Já estou usando ele a alguns meses e realmente, o couro se “enforma” do seu pé de uma forma tão perfeita e também é bem impermeável, se comparado aos outros materiais. Outra coisa que gostei é que ele tem costura, e hoje tudo é na cola. Não gosto disso, porque cola, descola uma hora ou outra. Tenho muitos calçados que estragaram porque descolou a sola. Tênis dos filhos então….

Meu Galpo sujo

Meu Galpo sujo

Espero que tenham gostado de conhecer esse produto que representa tanto da essência do artesanato; da vida criativa, ao reaproveitamento, ao demoradamente produzido para durar. E o que dá mais sentido as nossas vidas: Trabalhar com o que se ama, com o que se acredita.

Parabéns Rafael.

Idéias para organizar seu ateliê

Eu sempre pesquiso ideias para organizar a vida, em todos os sentidos. Meu ateliê (alguns hoje chamam de craftroom, mas eu ainda sou adepta do francesinho Atelier aportuguesado) não é diferente.
Quando se tem uma vida cheia de funções, e creio ser assim a vida de vocês também, a organização se torna vital! Não é mais uma questão de ser ou não uma pessoa organizada, mas sim, de conseguir sobreviver ao dia-a-dia sendo mãe, dona de casa, esposa, chef de cozinha, amiga, cuidar de mim e claro, trabalhar.
Eu uso muitas ferramentas, listas e aplicativos no celular para isso, mas hoje quero dar umas ideias de organizar o ateliê com charme e criatividade também, pois o local de trabalho em nosso caso tem que ser tão inspirador quanto o que está dentro da gente.
Essas imagens estão no Pinterest, uma ótima ferramenta de ideias. Se ainda não conhece vale a pena.

E nesse link aqui vocês vão para um site com umas etiquetas bem fofas para imprimir e dar nome as coisas, em caixas, gavetas, etc…

Vamos lá, mãos a obra!