Minha opinião sobre TENDÊNCIA

Olá amigos,

Estava fazendo uma pesquisa sobre moda artesanal e comecei a encontrar um monte de postagens sobre as tendências de inverno, de verão, primavera…. para 2016. Nossa, quanta informação!!

Eu tenho a sensação que vamos ser atropelados por toda essa informação tão rápida. Portanto, digo a vocês que fora a “Cor do Ano da Pantone”, eu não vou ficar postando nada tão datado.

Eu gosto sim, de acompanhar alguma coisa, rapidamente e ver naquelas coisas todas o que me chama atenção, coisas que eu ache bonito, e me fazem questionar o porque da escolha. Mas não me apego. São impressões.

flores_3D

O legal é ver o que realmente é tendência “a longo prazo”. Você pode fazer o que quiser, mas exitem alguns caminhos estéticos que são importantes na nossa trajetória e inspiração.

É como eu digo, artesão é bicho curioso!! Ainda bem, porque como trabalhamos diretamente com o Belo, temos que procurar entender seu caminho entre nós, como ele se desenvolve em nosso trabalho e como o gosto dos clientes se desenvolve.

Vejo por exemplo, a estética minimalista, do “menos é mais”, se desenvolvendo com o passar dos anos. De um minimalista frio e urbano, agora ele é neutro e orgânico. Mas são anos coletando impressões que se encaixam posteriormente na nossa mente como um quebra-cabeças.

quarto-pequeno-nordico-4

Isso pra mim é tendência. Ela é mais duradoura. Existe quase que intuitiva, como um consciente coletivo. Basta estar antenado!

E vocês, gostam de seguir as tendências? Pensam nisso? Isso influencia o trabalho de vocês? Quero saber!

 

 

Usando o que o ambiente oferece.

Depois de um mês que me mudei para Gonçalves percebi no mato a Macela, ou Macelinha-do-campo. Sabia que se fazia travesseiros calmantes e fui pesquizar na internet. Muito usado no sul do país, principalmente para acalmar bebês. As propriedades são impressionantes e sim, o cheiro dela é calmante, Aprendi com uma amiga daqui a colher e secar e hoje, o travesseiro de Macela faz parte da minha linha de produtos.

Porque estou contanto essa histórinha? Para dizer para olhar em volta e descobrir os materiais que o ambiente nos oferece. Talvez você não more na natureza, mas pode ver o que o seu bairro oferece. Conheci uma artesã que fazia tricô de máquina e descobriu uma fábrica que descartava sacos e sacos de retalhos de lã e começou a usar esses retalhos que iriam virar montanhas de lixo em belíssimas colchas super quentinhas.

Agora um detalhe muito importante na hora de reutilizar qualquer material: faça uma triagem, veja o que realmente tem qualidade, qual é a melhor maneira de utilizar esse material. Não é porque conseguiu um saco de retalhos de uma confecção que vai simplesmente costurar um ao outro sem nenhum discernimento. Sempre digo aqui: temos que ter carinho pelo material. E quem tem carinho tem atenção, tem cuidado.

VAMOS FALAR DE RECICLAGEM?

Vejo por ai muitos passo-a-passo de reutilização de materiais. Antigamente conhecida como sucata, hoje muitas embalagens podem ser reaproveitadas. Mas se a intenção é comercializar, que é o foco deste blog, essa sucata precisa passar por uma mudança de identidade. Um extreme make-over!

Vou explicar  usando  recursos visuais:

pet

Aqui vemos três trabalhos “artesanais” em garrafa PET. Você percebe que o primeiro tem a utilização de uma técnica usando o material da garrafa como material formando uma trama, um tecido plástico. Você consegue ver uma garrafa PET ai? Esse trabalho todo que o artesão teve em transformar o lixo em um outro material agrega valor a sua peça. O material foi trabalhado com tanto primor a ponto de não se parecer mais com o que era originalmente.

No segundo caso temos um fundo de garrafa PET. Qualquer pessoa sabe disso. O material passou por uma meia transformação, pois apenas sua função foi alterada. A intenção de se reutilizar a garrafa é ótima, porém, o produto não tem valor artesanal agregado, pois o trabalho manual que foi empenhado nele não é muito. Provavelmente o tecido com zíper foi colado, o que diminui em muito a vida útil da peça, gerando daqui a pouco…. mais lixo. Esse produto não terá  valor artesanal de mercado, pois é apenas funcional (de guardar alguma coisa).

O terceiro caso achei que era uma boa opção para aulas de recreação na escola do meu filho.

Brinquedos-de-sucata-009

Falando nisso, olha que legal essa ideia de fazer carrinhos com rolos de papel higiênico (hein? Nossa, nem tinha reparado! rs) para crianças. Vejam a riqueza de detalhes, o ilhós nas rodas e na direção. Eu compraria um jogo de quatro carrinhos desses para meus filhos fácil!

Transformação é a palavra chave para a reutilização de materiais reciclados.

abacaxi

Luminária feita de colheres de plástico

Use a criatividade!! Transforme o lixo em algo novo!!!

hein

Olha, colocaram uma flor para decorar a embalagem de amaciante cortada!

Lembrem-se, existe uma grande diferença em fazer uma coisa pra gente, pra usar em casa, e para comercializar. Existe ainda uma grande diferença em reciclar e fazer artesanato. Pode-se fazer artesanato reciclando as coisas, mas isso vai muito além do que apenas recortar uma embalagem e colar uma flor.

A artesã Harue Torres é um ótimo exemplo de artesanato com reciclagem. Suas peças usam latas de todos os tipos, principalmente de refrigerantes. As latas recortadas viram galinhas, flores, pássaros em lindos objetos. “Quando comecei a trabalhar com produtos recicláveis, as pessoas olhavam de uma maneira diferente e sempre diziam: Isso é lata! Hoje, elas gostam e tentam reconhecer os pedacinhos de materiais nos meus trabalhos. É muito gratificante” diz a artesã. “Tento levar encantamento para a casa das pessoas. Vivo 24 horas pensando, sonhando, ruminando e desenhando” comenta.

227593post_foto

galinha de lata de Harue Torres

Pois bem artesãos do meu país, vamos escolher bem nossos materiais, explorar o que tem pra ser usado e aproveitar o que tem para ser aproveitado de forma criativa e especial.

Vamos ser agentes da sustentabilidade e  cuidar do nosso planeta que é tão lindo.

 

 

 

A Saga de fotografar um produto

Oi pessoal!

O assunto de hoje é fotografia. Vim mostrar para vocês um pouco de como eu faço as fotos dos meus produtos, como monto o cenário, enfim, tudo que acho relevante.

Mas como aqui não é uma manual técnico e sim prático, vou mostrar o passo-a-passo da Saga do dia de fotografar.

Se você me acompanha pelo Instagram já deve saber do que eu estou falando e porque da denominação “saga”.

Mas vamos lá.

Primeiramente eu escolho as peças que vou fotografar, antes que eu pense em colocá-las à venda. Neste caso foram os caminhos de mesa com os guardanapos. Passo a ferro as peças, pois marcas e amassados não combinam com a fotografia profissional.

Ai penso  no cenário como um todo onde irei fotografar minhas peças. Se você produz peças menores e gosta de fotos com fundo infinito (fundo branco) também vai ter o trabalho de preparar o seu fundo e a sua iluminação. Eu sempre uso a luz e ambiente natural, pois como minhas peças normalmente são grandes, fica muito complicado montar o fundo infinito para elas, além do que eu gosto de trazer um pouco da natureza que me cerca para as fotos. Como estou morando em uma pousada (Pousada Bicho do Mato), resolvi usar o lindo cenário do deck da piscina.

Em seguida eu escolho objetos que compõe o uso do produto, nesse caso, como são caminhos para serem usados de toalha de mesa, eu monto uma mesa de verdade, com o maior número de elementos possíveis, mas sempre lembrando que o foco é mostrar o produto.

Estava eu concluindo esta fase, feliz da vida com minha mesa chiquérrima, no cenário perfeito, quando me lembrei que a bateria da máquina havia ficado na minha casa (a alguns metros dali).

Aqui estou eu super feliz com a produção toda pronta para os cliques.

Aqui estou eu super feliz com a produção toda pronta para os cliques.

No meio do caminho de volta gotas graúdas começaram a cair do céu. Corri. Quando cheguei as gotas eram muitas e a chuva grossa caiu com força total, molhando tudo. Desmontei toda a produção que havia me custado uma meia hora pelo menos, debaixo de chuva, atônita!

Tá vendo, as coisas não acontecem da forma que planejamos não é mesmo? Real life baby!

Chuva

Tudo molhado! Inclusive o produto.

Tudo molhado! Inclusive o produto.

Mas como aqui não deixamos os imprevistos nos vencer, usei a parte interna da área da piscina para fotografar algumas almofadas. E assim terminou a saga do dia de fotografar: com fotografia!

almofada com renda MIMO almofada catedral MIMO almofadas MIMO

Eu gosto de fotografar meus produtos com uma câmera semi-profissional, tenho uma SONY DSC-HX1, meio antiguinha, mas que trabalha com maestria dentro do que eu preciso. Também fotografo com o celular, daí já posto algumas fotos sem ter que ficar passando de lá pra cá.

Creio que o meu leitor seja um pouco como eu, faça de tudo um pouco dentro do seu empreendimento, não é mesmo? Mas existem áreas em que é muito importante nos aprofundarmos ou então delegar esta função a uma pessoa mais especializada.

Hoje não conseguimos atingir o nosso cliente sem uma boa imagem do nosso produto. Quem tem ou pretende ter uma loja virtual então, nem se fala. A foto do seu produto tem relevância de 80% na venda. Mas se você não tem loja virtual, tenho certeza que coloca a foto do seu produto no Facebook para divulgar não é mesmo? O que uma foto escura, com um fundo de toalha de mesa de todo dia pode valorizar ali? Para não dizer nada, diria que dá uma pioradinha…

Por isso, sugiro que invistam em um curso rápido, ou mesmo percam um tempo com vídeos no youtube de tutoriais. Não é nenhum bicho de sete cabeças, só dá um pouquinho de trabalho, mas que faz toda a diferença. Você vai ver como vale o investimento.

Essa semana vou postar em nossa Fanpage lá no Face alguns vídeos e posts legais que ensinam um pouco.

Comentem aqui como vocês fazem para fotografar seus produtos e o que acharam deste post!

abraços!

Programas de TV que me inspiraram nesse final de semana

É domingo a noite e não consigo me concentrar para fazer o cardápio da semana. Vi dois programas que me deixaram muito pensativa, e talvez, dividindo com vocês eu consiga enfim, voltar ao meu dia-a-dia comum e prático.

EllenaUm dos programas que passou no sábado a tarde foi a reprise do GNT Fashion em Grasse, na França. Foi uma visita ao ateliê de Jean-Claude Ellena, renomado perfumista da Hermés, famosos por várias frangrâncias famosas de grifes importantes. Várias coisas me chamaram a atenção; a primeira foi que ele trabalha apenas com mais duas pessoas em uma casa enorme. Não sei vocês, companheiras de profissão, mas eu gosto de privacidade para criar. Não sei fazer diferente. Me identifiquei, rs.
A segunda coisa foi que ele disse que se recusa a trabalhar em cima de pesquisa de marketing. Ele é fiel às suas ideias e apenas traduz perfumes que “surgem em sua mente, assim como uma música para quem compõe.” Ah gente, fala sério! Quanto respeito eu tenho por uma pessoa dessa. Aqui me mostrou que eu tenho que voltar meu trabalho mais as minhas ideias, ao meu estilo. Muitas vezes acabamos achando que o que gostamos não cola mais, ou está fora de moda, ou que já está cansativo e nos voltamos para o externo, para as referências. Chega uma hora que as referências parecem não dizer mais nada. Quem nunca?

Laura Dekker

Outro programa que vi foi um documentário, sobre uma menina de 16 anos que deu a volta ao mundo em um veleiro sozinha. Fiquei passada. Primeiro que ela não tem 16, é enganação!! Ela tem maturidade de uma menina de 20 e muitos. E a sua entrega ao seu sonho é uma coisa maluca, totalmente o que deveríamos fazer se estivéssemos mais conectados com nós mesmos. Quem faz e vive do artesanato são pessoas que vivem seu sonho, que vivem seu talento. Que assumem o risco de estar nessa tormenta que é o nosso mercado atual. Que tem que dar o melhor de si para vencer todos nossos bloqueios e fraquezas. Não deixem de ver o trailler aqui.

Espero que também fiquem inspirados por esses exemplos de vida, pois ainda existem pessoas que lutam pela sua arte e pelo seu talento.

Viva a sua verdade.
Boa semana.

Mudança, de uma montanha à outra.

mudança

Apesar de adorar fazer mudança de casa, eu tava querendo mesmo era me mudar para minha casa, sabe o sonho da casa própria? Mas para isso tive que fazer uma mudança a mais. Saí de São Bento do Sapucaí para a cidade ao lado, Gonçalves, em Minas Gerais.

A cidade é linda, fica na Serra da Mantiqueira como São Bento, pois dessas montanhas eu não saio jamais! Estou morando em uma pousada, lindamente linda como Gonçalves, a Pousada Bicho do Mato. Meu marido está de Chef no Restaurante Sauá e eu ajudando um pouco no que precisa.

O mais gostoso foi montar toda a casa de novo e melhor ainda, foi desapegar de um mooonnntee de coisas que eu não usava, que eu guardei sem necessidade. Aquele limpa que só uma mudança é capaz de fazer!

Depois vou fazer um post só sobre como eu reorganizei meu ateliê. Acho isso um assunto relevante aqui.

Estou me sentindo muito feliz, apesar dos dias de chuva, e estar ainda mais perto da natureza me deixa muito menos ansiosa. As vezes parece que aqui é um universo paralelo, onde dá tempo de fazer quase tudo e as horas passam mais devagar.

fog

Final de tarde, vista da minha janela, a neblina chegando…

No dia do Equinócio de Outono saí para dar uma volta e colher algumas flores para casa e meditar um pouco (sempre faço isso nas mudanças de estação porque acho importante manter um elo com os movimentos da natureza) e tirei fotos lindas, singelas na minha caminhada; matinhos, flores silvestres, sempre-viva, cogumelos e quaresmeiras…

matinho2 tulipinha musgo  brinco de princesa quaresmeira botão quaresmeira matinho sempre-viva cogumelo texturaDSC01624